segunda-feira, 7 de abril de 2008

Estreias de Abril: os filmes a ver (1ª parte)

Tendo em conta o volume crescente de estreias semanais que se tem verificado no nosso circuito comercial, esta rubrica pretende direccionar os amantes de cinema de género através os meandros diabólicos tecidos pelas distribuidoras nacionais, entre aquele cinema de autor pretensioso e pseudo-intelectual pensado exclusivamente para quem o faz e para os críticos que querem ficar bem vistos e o lixo industrial vindo de Hollywood que contamina os multiplexes e os seus zombies auto-denominados fãs de cinema.
Assim e esperando-se que não haja as habituais alterações do calendário das estreias, 5 filmes destacam-se este mês. Para já, ficam aqui 2 deles:

- "[Rec]" de Jaume Balagueró e Paco Plaza:
Este filme de terror espanhol já dispensa apresentações, tanto tem sido o seu sucesso e a sua aceitação pelos fãs de cinema de género, nomeadamente no último Fantasporto. De facto, é um filme que se deve experienciar numa sala de cinema se o espectador quer desfrutar plenamente do que o filme tem para oferecer, ou seja, uma eficácia imparável. Como se tem visto, está na moda os filmes realizados em câmara subjectiva e ao estilo documentário (câmara ao ombro e grão da imagem) mas, apesar do conceito continuar a ser particularmente artificial, "[Rec]" é no entanto bem superior aos sobrestimados "The Blair Witch Project" ou "Cloverfield", simplesmente porque a dupla atrás das câmaras tem uma verdadeira visão de cinema (sobretudo Balagueró aliás) o que não é o caso dos dois filmes pré-citados (Myrick e Sánchez limitam-se neste momento a fazer filmes de série B ou Z em DTV e Matt Reeves está apenas ao serviço de um produto marketing).
Assim, "[Rec]" é coerente e tem mais ideias de cinema por cena do que esses 2 filmes juntos, conseguindo até dar uma espessura dramática bastante interessante à sua história básica num final deveras perturbador. O verdadeiro problema do filme reside finalmente no que faz a sua força, i.e., o seu próprio conceito que num efeito perverso limita consideravelmente o impacto do filme no tempo, não sobrevivendo a várias visões. Em conclusão, um bom filme de terror com um efeito imediato que poucos outros filmes do género se podem orgulhar de atingir mas que demonstra também que nada é mais poderoso que um puro filme de cinema com tudo o que isso implica de efeitos de mise en scène, ambientes trabalhados e planos de câmara arrojados. Aliás bastará comparar o primeiro filme de Jaume Balagueró, "Los Sin Nombre", a este "[Rec]" para constatar que o primeiro ainda perturba a nossa memória passado quase 10 anos enquanto este último irá dissipar-se tão rápido quanto o seu impacto foi forte. De todas as maneiras, não percam este rollercoaster bem feito dentro das suas pretensões, o thrill proprocionado vale sem dúvida a pena. Estreia a 10 de Abril.

- "Youth Without Youth" de Francis Ford Coppola:
Ora aqui está um filme que não se enquadra precisamente no cinema de género mas como somos cinéfilos antes de ser aficionados de cinema de género, é portanto impossível não destacar o novo filme de Francis Ford Coppola, o outrora genial cineasta por trás de "The Godfather", "The Conversation", "Apocalypse Now", "Rumble Fish" ou ainda "Tucker". Há muito tempo que Francis Ford Coppola já não é o realizador de obras-primas que conhecíamos, aliás os anos 90 foram o início da decadência. Mesmo se "The Godfather: Part III" e "Dracula" apresentam fortes qualidades, já os sinais não enganavam e o que veio a seguir veio confirmar que o realizador já não tinha aquela mestria característica dos maiores. "Jack", "The Rainmaker" e o pesadelo "Supernova" (substituiu Walter Hill quando lhe foi retirado o filme) acabaram com um cineasta conhecido pela sua integridade artística e também a sua megalomania.
O projecto "Youth Without Youth" foi portanto inesperado e apresenta-se como uma obra pessoal para o realizador, longe dos grandes estúdios de Hollywood, feito em paz e serenidade, enquadramento que não é propriamente habitual para Francis Ford Coppola. É assim esperado um filme introspectivo e filosófico, apoiando-se principalmente nas suas personagens e onde acreditamos que poderemos reencontrar a forma peculiar de realizar de Coppola, essa tão própria narrativa épica cheia de emoção contida. Esperemos que este seja o regresso definitivo de um grande senhor da 7ª Arte, apesar da gélida recepção da qual foi objecto "Youth Without Youth". Estreia a 10 de Abril.

Falaremos em breve dos outros 3 filmes en questão. Keep watching!

2 comentários:

Zatoichi disse...

Olá meus amigos.
Desta vez estou a comentar este post para demonstrar a minha indignação. Não contra este magnifico blog ao qual não consigo parar de pronunciar o meu grande apreço, mas sim por causa da indústria de Hollywood.
E porquê indústria de hollywood e porquê comentar neste preciso post?
Porque me refiro ao infame trailer, que foi posto hoje a circular na internet, de "Quarantined" remake formatado e completamente plagiárista do filme que espanhol de terror que estreia esta semana "Rec".


Este trailer só vem demonstrar a politica estupida e facilitista que circula hoje em dia dentro de Hollywood, onde os bons filmes estrangeiros são re-apropriados e copiados de forma completamente óbvia e sem respeito pela obra de origem.
Ao ver este 1º trailer fiquei chocado com a quantidade de cenas iguais ao do filme espanhol, e pasme-se, o trailer já demonstra a cena final do filme!!!! Como é possivel????
Isto só vem provar que Hollywood é cada vez mais uma máquina mercantilista e só se preocupa em ganhar dinheiro, a qualquer custo, e isso revolta-me pois isso só demonstra que a indústria de Hollywood, não passa disso de uma indústria obcecada por "profit", e que cada vez menos se preocupam em fazer bons filmes.
Mesmo se que há filmes que nunca deveriam ser tocados. Só de pensar que está para vir um remake do "A Tale Of Two Sisters" até me dá um colapso nervoso.



Bem, despeço-me com abraços amigáveis e com a promessa de voltar aqui o mais brevemente possivel.


Zatoichi.



P.S.--> Ao menos, vi no bloody-disgusting um clip fantástico e completamente demente do "Machine Girl" e alegrou-me o espirito "right away". Ai, estes japoneses são os maiores!!!!

Mr. Hand disse...

Grande Zatoichi, acabei de ver o teaser do "Quarantined" que mencionaste e, de facto, quem viu o "[Rec]" (que estreou hoje em Portugal) só pode ficar chocado e sobretudo enojado por esta postura vergonhosa dos estúdios de Hollywood.
As cenas mostradas neste teaser não são parecidas com o filme de Jaume Balagueró e Paco Plaza, são idênticas ao milimetro! E, como referiste e eu nem queria acreditar, os bois mostram a última cena do filme, inacreditável!
Não sou contra os remakes, nem nunca fui ("The Departed" é um filmaço melhor do que original por exemplo, mas sabemos todos porquê, certo?), só que há limites para tudo e Hollywood já os ultrapassou há muito tempo com esta nova moda de fazer um remake de um filme estrangeiro apenas o filme original concluido sem quase ter sido exibido em lado nenhum, indamissivel.
Falas do remake da obra-prima "A Tale of Two Sisters", só de pensar nisso, fico com arrepios. Felizmente, o remake do "Oldboy" parece ter morrido. Mas quando vejo o bosta do J.J. Abrams já de olho no "Let the Right One In", só digo que estas práticas nojentas e anti-cinemas estão para durar. Fuck!